Doença Celíaca – Dieta sem Glúten

O que é a Doença Celíaca.

dieta sem glutenÉ a intolerância à proteína glúten, presente no Trigo, Aveia, Centeio, Cevada e Malte. Ela não é contagiosa e normalmente se manifesta entre 1 a 3 anos de idade, em crianças com predisposição genética à doença ou com histórico familiar, pois é quando se começa a introduzir as papinhas engrossadas com cereais, bolachas, pão, sopinhas de macarrão e outros. Mas uma manifestação tardia não é descartada, podendo sim aparecer na fase adulta.
A dermatite herpetiforme é uma variação possível da doença que apresenta pequenas feridas ou bolhas na pele que coçam ( são sempre simétricas, aparecendo principalmente nos ombros, nádegas, cotovelos e joelhos).

Sintomas

O glúten agride e danifica as vilosidades do intestino delgado prejudicando a absorção dos nutrientes, vitaminas, sais minerais e água dos alimentos. Os sintomas da Doença Celíaca se confundem com outros distúrbios. E podem variar de pessoa para pessoa, que seriam:
Diarréia crônica (que dura mais do que 30 dias), Prisão de ventre, Anemia, Falta de apetite, Vômitos, Emagrecimento, atraso no crescimento, humor alterado (irritabilidade ou desânimo), distensão abdominal (barriga inchada), dor abdominal, perda de peso ou pouco ganho de peso e osteoporose.

Como a doença celíaca é diagnosticada?  

A doença celíaca pode levar anos para ser  diagnosticada. Os exames de sangue são muito utilizados na detecção da doença celíaca. Os exames do anticorpo anti-transglutaminase tecidular (AAT) e do anticorpo anti-endomício (AAE) são altamente precisos e confiáveis, mas insuficientes para um diagnóstico.  A doença celíaca deve ser confirmada encontrando-se certas mudanças nos vilos que revestem a parede do intestino delgado. Para ver essas mudanças, uma amostra de tecido do intestino delgado é colhida através de um procedimento chamado endoscopia com biópsia. (Um instrumento flexível como uma sonda é inserido através da boca, passa pela garganta e pelo estômago, e chega ao intestino delgado para obter pequenas amostras de tecido).

Tratamento

A Doença Celíaca não é um estado momentâneo do organismo como a gripe que pode ser curada. Mas sim uma condição permanente como a Diabetes.
Sendo assim o melhor tratamento é aceitar a condição de Celíaco e aprender a se adaptar a uma alimentação sem glúten e bem moderada.
É vital ter uma alimentação totalmente sem o gl[uten, ou seja, alimentos que contenham trigo, aveia, centeio, cevada e malte ou os seus derivados (farinha de trigo, pão, farinha de rosca, macarrão, bolachas, biscoitos, bolos e outros).

alimentação sem glutenA alimentação do Celíaco normalmente é composta em sua maioria de proteínas (carne em geral) e gorduras (margarina, manteigas, óleos, etc). Os carboidratos (massas sem glúten, açúcares, etc) sempre ficam com a menor parte . Mantendo exatamente esta dieta, quem convive com a doença celíaca tende a ter um aumento do peso corporal, para evitar isso, deveria diminuir a ingestão de proteínas, moderar o consumo de gorduras e aumentar o consumo de frutas, sucos naturais, verduras e legumes, tornando sua alimentação mais adequada e saudável.

Alimentos Permitidos: arroz (e farinha de arroz, creme de arroz, arrozina, arroz integral em pó e seus derivados), batata (fécula ou farinha), milho (fubá, farinha, amido de milho, maisena, flocos, canjica e pipoca), mandioca (fécula ou farinha, como a tapioca, polvilho doce ou azedo), macarrão de cereais (arroz, milho e mandioca), cará, inhame, araruta, sagu, trigo sarraceno. Sucos de frutas e vegetais naturais, refrigerantes, chás, vinhos, champanhes, aguardentes, saquê, café. Leite em pó, esterilizados, integrais, desnatados e semi-desnatados. Leite condensado, creme de leite, Yakult, queijos frescos, tipo minas, ricota, parmesão. Pães de queijo. Açúcar de cana, mel, melado, rapadura, glucose de milho, malto-dextrina, dextrose, glicose, geléias de fruta e de mocotó, doces e sorvetes caseiros preparados com alimentos permitidos, achocolatados de cacau, balas e caramelos. Todas as carnes, incluindo presunto e lingüiça caseira. Manteiga, margarina, banha de porco, gordura vegetal hidrogenada, óleos vegetais, azeite. Feijão, broto de feijão, ervilha seca, lentilha, amendoim, grão de bico, soja (extrato protéico de soja, extrato hidrossolúvel de soja). Todos os legumes e verduras. Sal, pimenta, cheiro-verde, erva, temperos caseiros, maionese caseira, vinagre fermentado de vinhos tinto e de arroz, glutamato monossódico (Ajinomoto).

Alimentos Proibidos: todos os produtos elaborados com trigo (farinha, semolina, germe e farelo), aveia (flocos e farinha), centeio, cevada (farinha) e malte. Cerveja, uísque, vodka, gim. Ovomaltine, bebidas contendo malte, cafés misturados com cevada. Leites achocolatados que contenham malte ou extrato de malte, queijos fundidos, queijos preparados com cereais proibidos. Patês enlatados, embutidos (salame, salaminho e algumas salsichas), carnes preparadas à milanesa. Extrato protéico vegetal, proteína vegetal hidrolizada.

Verificar rótulo: bebidas e queijos cuja composição não esteja clara no rótulo. Iogurtes, requeijão, bebidas com leite. Doces. Maionese, catchup, mostarda e temperos industrializados.

.Fonte: http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/7157

http://saude.terra.com.br/interna/0,,OI514246-EI1497,00.html

Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *