Superdosagem vitamínica

Não é saindo da farmácia com um monte de polivitamínico ou comprando o que vê pela TV que você estará saudável, aquele pensamento, “é melhor ter bastante do que não ter nada”, ou que “quanto mais vitamina melhor” está totalmente errado. Existem vitaminas que ingeridas em grande quantidades,   podem ser tóxica ao nosso organismo, ou farão o efeito reverso,um exemplo:  depois da minha cirurgia, logo me indicaram a vitamina D, no primeiro exame foi verificado que ela estava boa, mais do que esperado, assim logo suspenderam pois o excesso dessa vitamina no meu organismo poderia prejudicar meu ossos e meus rins.

Então, isso é muito sério! É necessário consultar um profissional, ele através de análise de  exames, sua idade, gênero, e estilo de vida (ex. vegetariano), situação (gestante, fumante), saberá qual a vitamina e a dosagem que precisa.

Exemplos de Superdosagem

Vitamina  A – Consumir vitamina A em excesso pode contribuir para a queda de cabelo ( até nas sobrancelhas !) , pele seca,  dores de cabeça e aumento da pressão no cérebro. Além disso na gravidez, pode prejudicar a formação do feto.

Vitamina D – Essa vitamina ajuda o corpo a absorver o cálcio dos alimentos consumidos,  o cálcio em excesso no sangue pode causar pedras nos rins,  distúrbios digestivos, vômitos, enjoos, dores no estômago, fadiga, tonturas, muitas sede e micção frequente.

Vitamina B12 –  Pode causar dificuldades para dormir, formigamento nas mãos e nos pés, cãimbras e espasmos musculares temporários.

Vitamina C – Ingerindo em excesso, os sintomas podem ser : diarreias, cólicas, dores abdominais e dores de cabeça além de contribuir para a  formação de pedras nos rins.

Colina – Excesso de suor e odores pelo corpo, vômitos e pressão baixa.

Vitamina E – Irritações no estômago e vertigens

Não se preocupe, a maneira mais comum de se ter uma superdosagem de alguma vitamina, é através de suplementos e não dos alimentos de origem animal e vegetal que ingerimos diariamente.

Fica a dica: se esta tomando por conta própria, ou sente muitos dos sintomas acima,  pare e consulte um nutricionista, lembre-se que o barato custa caro, uma consulta poderá salvar sua saúde!

Fonte:  Por Larry E. Johnson, MD, PhD, Associate Professor of Geriatrics and Family and Preventive Medicine;Medical Director, University of Arkansas for Medical Sciences;Central Arkansas Veterans Healthcare System (Por Manual MSD)
Nutrição para leigos edição bolso/ Por Carol Ann Rinzler – Rio de Janeiro, RJ: alta Books, 2014. 248p. : il; 17 cm – (Para leigos)

 

Be Sociable, Share!